Lista

Todos os projectos independentes de comunicação social

Shifter – nascido em 2013 e renovado em 2020, o Shifter é um meio de comunicação nascido no digital e focado no mundo real. Questiona o progresso tecnológico e o futuro da sociedade – de uma perspectiva independente, criativa e humana. O Shifter é para quem acredita numa sociedade mais activa e participativa. Financia-se de duas formas: donativos de leitores (Patreon) e relações comerciais (Shifter X).

Fumaça – tendo começado como um podcast em 2016, o Fumaça é desde 2018 um órgão de comunicação social completo. Com uma estrutura horizontal, acredita no progresso social e na universalidade dos Direitos Humanos e propõe-se a apresentar outras narrativas através de um “jornalismo independente, progressista e dissidente”. Tudo com tempo. Financia-se através de bolsas de jornalismo e de donativos.

Jornal Mapa – o Mapa é um jornal diferente de todos os outros. Não se lê num dia, nem numa semana. É para ser lido com calma, com tempo. Com periodicidade trimestral, afirmam-se um “jornal de informação crítica” – como uma ferramenta para estimular o debate, a crítica e a compreensão do mundo. Sai de três em três meses e pode ser encontrado em lugares inconformados pelo país.

Interruptor – o Interruptor é uma revista multimédia independente que olha para o mundo pelas lentes da cultura, tentando que nunca fiquem embaciadas. Quer ligar as boas ideias privilegiando os formatos longos, os podcasts, o documentário, a arte, a ciência e a experimentação. Explora dados, disponibiliza código, gosta de repensa as coisas e o publica é feito para ser partilhado e reinventado.

Divergente – pertencendo a uma cooperativa chamada Bagabaga Studios, a Divergente é uma publicação de  jornalismo de investigação. Não publica muitas vezes porque o seu trabalho leva tempo mas quando o faz vale a pena e valeu a pena esperar. Privilegia formatos narrativos, aposta na fotografia, no vídeo, no áudio, no texto e na mistura de todos eles. Os trabalhos podem ser encontrados no site e às vezes no Público.

A Sentinela * – é um órgão de comunicação social que se foca no registo e manutenção de informação sobre crises de direitos humanos e conflitos armados, bem como crises ambientais. A Sentinela pretende expor de forma consistente e regular os conflitos locais, regionais e nacionais que se desenvolvem por todo o mundo, fora do ciclo noticioso dos media ocidentais, através de fontes fidedignas e responsáveis, na tentativa de criar uma maior consciencialização para a cidadania global.

Sinal Aberto – o  Sinal Aberto é um coletivo de jornalismo de interesse público, além fronteiras e alargado aos PALOP, que recusa a informação apressada e que procura a verdade, sabendo que nunca será neutro. É propriedade da associação sem fins lucrativos, Desalinha – Associação de Conteúdos.

Qi News – apresentando-se como uma revista multimédia, a Qi News encontrou no vídeo uma forma de falar sobre injustiça social e os “sistemas de perpetuação – conscientes ou inconscientes; premeditados ou involuntários; institucionais ou informais; conspícuos ou invisíveis”. Procura uma geração mais interligada e que questione esse “estado actual das coisas”.

A Batalha – nasceu em 1919 e o seu centenário foi muito recentemente comemorado na Biblioteca Nacional. A Batalha é um pedaço de história e afirma sem medos ao que vem: é um “jornal de expressão anarquista”. Nos seus cem anos de vida, passou por muitas fases e viu muitas coisas. Por agora, continua vivo e bem desperto mas sem o hype de outros tempos.

Revista Manifesto – somos uma associação política de ativistas que partilham uma mesma identidade ideológica e um mesmo espírito de abertura e que estão dispostos a dar parte do seu tempo e energia por uma sociedade mais justa, mais solidária, mais democrática, mais decente, mais sustentável e mais inspiradora. É neste espaço de cidadania política não partidária que inscrevemos a nossa vocação e vontade de intervir.

Revista Rua – todas as ruas têm uma história. A nossa tem várias! Arte, música, talento, personalidades, negócios, sabores, viagens, bom gosto. A RUA é a história que liga as raízes de Portugal ao futuro. Uma revista com uma linguagem criativa e original preenchida por um jornalismo sério e autêntico.

Revista Libertária – a Libertária é uma revista não periódica que se rege pelas ideias inerentes ao livre pensamento, à liberdade de expressão e ao pluralismo de ideias. Independente do poder político e de quaisquer grupos de pressão, a Libertária tenta divulgar o mais objectivamente possível e da perspectiva libertária e do pragmatismo político as várias correntes do pensamento socialista democrático e do centro-esquerda, numa perspectiva reformista.

Guilhotina.info * – a Guilhotina.info é um colectivo de informação independente nascido a 15 de Setembro de 2013, a data da sua primeira publicação. É composta por “revolucionários e revolucionárias de várias estirpes e preocupações, que partilham um ódio mútuo ao capitalismo”.

Afrolink * – lançado em Setembro de 2019, como um grupo privado no Facebook, depois de um período de incubação no programa de ignição de negócios Menos, o Afrolink estreia-se agora em casa própria. Da autoria da jornalista Paula Cardoso, o projecto junta profissionais africanos e afrodescendentes residentes em Portugal – ou com ligação ao país –, com o propósito de partilhar experiências, valorizar competências, criar alianças, divulgar e suportar negócios.

Jornal Crónico * – qual é a posição da nossa geração no espaço público? Não terá ela uma palavra a dizer sobre o que se passa no país e no mundo? Cinco jovens combinaram sentar-se num café determinados a encontrar uma resposta para estas questões. Uma patologia comum juntava-os: a vontade de expressar opiniões sobre o que os rodeia. Assim nasceu o Jornal Crónico – Patologicamente Inconformado. 

8ª Colina (Escola Superior de Comunicação Social, Lisboa)

ESCS Magazine (Escola Superior de Comunicação Social, Lisboa)

ESCS FM (Escola Superior de Comunicação Social, Lisboa)

Rádio Zero (Instituto Superior Técnico, Lisboa)

ComUM (Universidade do Minho)

Rádio Universitária de Coimbra – UC (Universidade de Coimbra)

Rádio Universitária do Minho – RUM (Universidade do Minho)

Jornal Universitário do Porto – JUP (Universidade do Porto)

Engenharia Rádio (Faculdade de Engenharia, UPorto)

Rádio Universitária do Algarve – RUA (Universidade do Algarve)

Em papel

Gerador – o Gerador é uma revista que se propõe a aplicar o jornalismo de investigação à cultura, através do Barómetro Gerador. É impulsionadora da educação cultural com a Escola Gerador. Faz eventos com a chancela Trampolim Gerador e no espaço Central Gerador, em Lisboa. E está diariamente a publicar no seu site. A revista em papel sai de dois em dois meses nas bancas.

Umbigo – criada em 2002 por Elsa Garcia e Miguel Matos, a Umbigo é hoje uma plataforma independente dedicada à arte e cultura, que inclui uma revista trimestral impressa, uma publicação online diária, uma rede social virada para arte e um programa de actividades de curadoria.

Dose – lançada em 2018 por quatro jovens então recém-licenciadas, a Dose é publicada semestralmente e reúne, em cada número, trabalhos de 12 artistas. Os artistas são convidados a desenvolver um projecto que se ramifica em dois: um trabalho para a revista física, que custa 10 euros, e um trabalho para a revista online, gratuita.

Music & Riots – fala inglês mas a publicação é portuguesa. A Music & Riots é uma revista independente portuguesa que se dedica a mostrar aos leitores o que há de mais recente no campo da música, mas também dos filmes e de outras formas de arte. Além de jornalismo, a Music & Riots é também uma editora e uma loja de discos no coração do Porto.

Revista Bíblia – a Revista Bíblia podia ter a ver com religião, mas nada disso. Afirma-se como um espaço de experimentação da literatura e das artes visuais contemporâneas, portuguesas e não só.

Revista Bica – moderna e cosmopolita, de causas e de propostas, de afirmação da identidade multicultural de Lisboa e do País, a BICA é, sobretudo, uma revista de ideias. Das ideias que ao longo de séculos fizeram de Lisboa, e por isso de Portugal, uma cidade e um País diferentes.

Granta – a Granta em Língua Portuguesa é uma revista literária de publicação semestral, co-dirigida por Pedro Mexia (Portugal) e Gustavo Pacheco (Brasil), e com direção de imagem de Daniel Blaufuks. Não é uma revista de actualidade, nem jornalística. Os textos que a compõem têm valor pela sua qualidade literária, independentemente do género – ficção, ensaio, reportagem ou outro.

Jamm – quando um grupo de amigos de junta, sem grandes planos mas com uma vontade imensa de concretizar uma revista de música, nasce a Jamm. Foi isso que aconteceu algures em 2019. Dizem que é só mais uma revista de música mas é mais que isso. É um trabalho de improviso e de paixão que pode ser encontrado à venda, de tempos em tempos, em Lisboa, no Porto e online.

Revista Variações – a Revista Variações surgiu em 2019 e resulta de um encontro de várias pessoas com vontade de dar voz à crescente variedade da música portuguesa, sem virar costas ao que é feito lá fora. São o resultado de um Portugal onde a música cresce a passos largos e merece cada vez mais atenção. A Variações sai bimestralmente e diariamente existe online.

Glosas – celebrando a música clássica dos países de língua portuguesa.

Deus Me Livro – aquilo que nasceu como um site dedicado à Literatura cresceu e, em ano e meio, passou a dar também espaço à Música e, desde há poucos dias, ao Cinema.

Wrong Wrong Magazine – publicação online centrada no campo da produção artística contemporânea. Tem quatro edições anuais temáticas. O tema de cada edição origina múltiplas reflexões Na Wrong Wrong a reflexão é em si criação.

Parq Magazine – a Parq Magazine é uma revista de cultura urbana e de distribuição gratuita nacional. Aponta tendências e junta arte, moda, música, design, cinema e lifestyle.

Cinema

C7nema * – criado em 2002, o C7nema é um dos mais antigos sites de informação, opinião e crítica de cinema em Portugal, cujo foco principal é uma abordagem do Cinema como arte, mas igualmente como entretenimento, sempre de forma totalmente independente do mercado e afastada das tendências sensacionalistas do jornalismo.

À Pala de Walsh * – no À Pala de Walsh, cometem a imprudência dos que esculpem sobre teatro e pintam sobre literatura. Escrevem sobre cinema. Críticas a filmes, crónicas, entrevistas e (outras) brincadeiras cinéfilas.

filmSPOT – o filmSPOT é um site sobre cinema e televisão. É um projecto profissional e independente, sem ligações a empresas da área do cinema, ou do audiovisual. Tem como objectivo principal informar o consumidor de cinema e televisão.

Música

Altamont * – criado em 2005, o Altamont é, no seu âmago, um lugar de união para quem gosta de música. Evoluindo e crescendo, mas sem perder a inocência e ingenuidade que lhe dá o seu lado mais verdadeiro, o Altamont tentará cumprir com o propósito que sempre lhe pautou o caminho – ser um local de descoberta e partilha para quem ainda tem tempo para ouvir um disco de uma ponta à outra.

Wavmagazine * – com o mote “tu és aquilo que ouves”, a Wavmagazine é uma revista online dedicada à música.

Bodyspace – o Bodyspace é uma publicação online dedicada à crítica, opinião e informação musical nos seus diversos conteúdos. Assume o seu papel na valorização da critica musical enquanto ferramenta essencial ao serviço da própria música.

Punch * – a Punch é uma revista online de música onde a novidade pauta a informação. Virada para o público português, queremos dar a conhecer as coisas boas e recentes que são feitas tanto cá como lá fora.

Rimas e Batidas * – o Rimas e Batidas é uma revista digital sobre música criativa e desafiante: a que se estende entre o hip hop e a electrónica, entre África e o jazz, entre a dança e a contemplação e mais além.

Rap Notícias – o Rap Notícias promove e noticia novidades de rap nacional e internacional, diariamente.

Tranquilow * – a Tranquilow é uma comunidade de hip-hop e cultura urbana, criada em Agosto de 2017, que divulga o melhor destes dois mundos, tanto a nível nacional como internacional. Tenta canalizar as várias visões da sua equipa para produzir conteúdo que unifique estas culturas.

100% Dejay – o 100% Ddejay é uma publicação online, com actualização diária, que disponibiliza informação independente e pluralista sobre a vida noturna em todas as tuas vertentes, desde artistas, eventos, marcas, entrevistas, lançamentos de músicas, etc. Está focado na vida noturna portuguesa mas manter-se-á atento ao que se passa além-fronteiras.

Musicfest – o Musicfest informa sobre p cartaz dos festivais de música, e ainda agenda e horários de concertos, notícias de música, reportagens e fotografias.

Tracks * – a Tracks traça os perfis musicais e biográficos de artistas portugueses. Procura explorar o universo da música portuguesa contemporânea aproximando os fãs dos seus artistas favoritos.

Tudo um pouco

Arte-Factos * – a Arte-Factos é uma revista online fundada em Abril de 2010 por um grupo de jovens interessados em cultura. Dedicada à divulgação das artes da música, cinema e séries, fazemo-lo através de notícias, críticas, entrevistas, reportagens e outras iniciativas.

Comunidade Cultura e Arte * – a Comunidade Cultura e Arte tem como principal missão popularizar e homenagear a Cultura e a Arte em todas as suas vertentes. A Comunidade Cultura e Arte procura informação actual, rigorosa, isenta, independente de poderes políticos ou particulares, e com orientação criativa para os leitores.

Festivais de Verão – um projecto passado do papel para a realidade. Desde 2007 que o nosso objectivo é a divulgação de festivais de música e de concertos com especial foco no nosso pais. Um website que se encontra constantemente actualizado, dando a conhecer as últimas noticias relacionadas com o mundo da música, uma agenda e cartaz com toda a informação disponível, uma galeria fotográfica de vários concertos / festivais e claro, uma zona dedicada aos passatempos.

4gnews * – fundado em 2013 por Filipe Alves, o 4gnews promete trazer as novidades do mundo da tecnologia de forma descomplicada. Acreditando que a tecnologia melhora a vida das pessoas, o 4gnews procura através da sua abordagem informal aproximar a tecnologia a toda a gente e mostrar todas as novidades com informação fidedigna.

Future Behind – lançado inicialmente como um projecto de tecnologia com conteúdos de profundidade, feitos com tempo e para ler com tempo, o Future Behind mantém essa profundidade mas focado agora na área dos videojogos.

AndroidGeek * – o AndroidGeek é um portal de partilha e divulgação de novidades relacionadas com Android, que surgiu como a evolução e maturidade deste sistema operativo e do seu ecossistema, que justificou a existência de um portal onde toda a informação fosse aglomerada.

Meus Jogos * – fundado em Março de 2010, o Meus Jogos é um site português dedicado aos videojogos, cuja origem teve particular enfoque nas plataformas dedicadas da Nintendo. Actualmente, e desde 2016, publica críticas e notícias relacionadas com os jogos que passam pelas mãos de uma equipa que tenta chegar a todo o tipo de jogos, para todos os jogadores.

Espalha Factos – criado em 2005 como um programa de rádio, saltou em 2009 para a internet e desde aí juntou centenas de pessoas que gostam de jornalismo, de cultura e de entretenimento. Em 2020, com nova estrutura, passou a estar mais focado em Televisão e Cinema, mas não tem intenção de descurar tudo o que se passa Fora do Ecrã, mantendo espaço para outras áreas da vida.

ROOF Magazine – dentro e fora de portas, na ROOF Magazine percorre-se o mundo para reunir as melhores propostas de arquitectura, interiores, design, cultura e lifestyle. Edifica-se construções sólidas na forma como se faz jornalismo e apresentam-se projectos que ganham corpo e contam histórias de sucesso. A ROOF Magazine chega às bancas de dois em dois meses e, diariamente, reforça a sua presença online.

Rádio Baixa – de Coimbra, a Rádio Baixa é um projecto cultural e sem fins lucrativos que elege a música como o seu principal elemento e a sua exploração por artistas locais e nacionais, DJ’s, programadores e agentes culturais, colectivos, ou simplesmente amadores com uma relação comprometida com a música. Pelo caminho queremos criar uma comunidade na Baixa de Coimbra, cimentando laços e partilhas.

Dois Pontos – a Dois Pontos é para um público diferente: miúdos e miúdas dos 7 aos 11 anos. Com quatro números anuais, cada um deles dedicado um determinado tema, esta revista propõe-se a “estimular nas crianças a imaginação e a curiosidade pelo mundo exterior e interior”. São 64 páginas devidamente ilustradas e imaginadas por colaboradores de áreas como a psicologia infantil, a história, a culinária e a política.

Bola Amarela * – o Bola Amarela é o site de referência em Portugal criado para divulgação de toda a acção dos circuitos profissionais de ténis, sem nunca descurar o acompanhamento dos jogadores portugueses espalhados pelo mundo nos circuitos ATP Challenger Tour e ITF Pro Circuit, assim como tudo o que se passa nos bastidores.

Bola Na Rede – o Bola na Rede é uma publicação online de opinião desportiva. Tendo começado em 2010 na rádio, o Bola na Rede procura hoje assumir-se como um órgão de referência no desporto português, providenciando, ao mesmo tempo, uma clara oportunidade e rampa de lançamento para os jovens talentos portugueses no plano da comunicação em Portugal.

A presente lista é uma tentativa de catalogar todos os projectos independentes de comunicação social que existem em Portugal – dos que estão formalizados enquanto tal às iniciativas mais informais.

Falta algum projecto na lista? Envia para mail@mediaindependentes.pt.

Assinalados com (*) os projectos não profissionalizados, isto é, sem registo na Entidade Reguladora Para a Comunicação Social (ERC), a única entidade em Portugal com competências para reconhecer um órgão de comunicação social como tal.